domingo, 17 de janeiro de 2016

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Árvores que andam (5 fotos)

É difícil imaginar uma árvore se movendo sozinha de um lado para o outro, mas isso acontece de verdade. 
Na América Central, árvores “andantes” se deslocam 20 metros a cada ano.


Em um ano elas podem chegar percorrer uma distância de até 20 metros. 

É difícil imaginar uma árvore se movendo sozinha de um lado para o outro. Mas, por mais estranho que isso possa parecer, é possível e acontece de verdade. A Socratea exorrhiza é a espécie conhecida como “Palmeira Andante”. A cada ano essas árvores são capazes de se deslocar por até 20 metros.

Endêmica da floresta tropical, a palmeira é mais comum na América Central, mas ela chega até a bacia do rio Amazonas, já em território brasileiro. Apesar de ser única em seu hábito incomum, esse diferencial não é o bastante para garantir a sua preservação total.

No Brasil, as palmeiras andantes são muito usadas na confecção de bengalas, na construção civil e até na fabricação de pequenas embarcações. Na Costa Rica, as legislações ambientais proíbem totalmente o corte desta espécie, enquanto no Equador, mesmo com áreas de preservação, ela ainda sofre na mão dos desmatadores.

O deslocamento desta árvore chama a atenção de pesquisadores há anos. Algumas hipóteses sobre a evolução das espécies já foram colocadas em cheque, mas descartadas depois. O que se sabe é que elas mudam de lugar em busca de melhor solo e mais luz do sol.

A caminhada é lenta, mas constante. As árvores andam diariamente de dois a três centímetros. Em um ano elas podem chegar percorrer uma distância de até 20 metros. Isso acontece através das novas raízes, que vão crescendo a pequenas distâncias das antigas. Quando as raízes velhas apodrecem, todo o tronco é deslocado junto às raízes novas. Por mais surpreendente que isso possa ser, infelizmente essas árvores não conseguem se deslocar rápido o suficiente para fugir do desmatamento.

CicloVivo





quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

A família mais peluda do mundo (24 fotos)

Conheça este mexicano de 38 anos, Chuy e sua família. Todos eles sofrem de uma doença rara - hipertricose congênita também conhecida como sídrome do lobsomem. As pessoas que sofrem com esse problema ficam completamente cobertas por um longa lanugem (cabelo), com exceção das palmas das mãos e dos pés

Recentemente esta maravilhosa família fez um filme chamado "Chewie, homem-lobo."

Jesus "Chuy" Aseves nasceu em 1974, em Loreto, México. Com a mesma doença nasceu sua irmã Lily e primos Danny e Larry. Chewie e seus primos começaram a trabalhar no circo em sua juventude - foram mostrados ao público como monstros.

Durante o dia, os irmãos não eram autorizados a sair - o proprietários do circo dizia que ninguém pagaria para ver uma apresentação se as pessoas cabeludas pudessem apenas ser vistas na rua.

Chui tem três filhas de mulheres diferentes, as quais também nasceram com hipertricose. O primeiro na família a ter a doença foi a avó de Chui, posteriormente mais 30 membros da família tiveram o mesmo diagnóstico.


Na história há registrado apenas 50 casos de hipertricose, e 30 deles caíram sobre a família Aseves.





























A filha de Chuy, Ervas, consegue resolver parte do problema usando um aparador de pelos, mas ainda sobra alguns na testa e queixo.